Dando Risadas
Nena Medeiros
Duas velhinhas em Nova Iorque
O ser humano inventou a linguagem para satisfazer a sua profunda necessidade de se queixar. Lily Tomlin
07/08/2017
?As duas velhinhas muito amigas, aposentadas e viúvas resolveram conhecer os Estados Unidos. Dona Cândida, pragmática, comprou um curso em videoaulas de inglês e passou os dois meses que antecederam a viagem estudando. Quando embarcaram, até conseguia se virar no idioma do tio Sam. Dona Maricota, ao contrário, achava um desaforo aprender outra língua só para passar uns dias no estrangeiro: se aqui, até flanelinha fala uma coisinha ou outra de inglês para agradar o turista, por que lá não haveria alguém capaz de entendê-las em português? 

Já nos States, as duas senhoras perceberam que ambas estavam de algum modo corretas. Algumas pessoas falavam português. Na maior parte, serviçais tupiniquins ou patrícios dos hotéis e restaurantes. Com os demais, entendia-se dona Cândida, com muita paciência e jeitinho.

Uma noite, estavam no quarto do hotel e Cândida preparava-se para entrar no chuveiro, quando ouviram um alarido no corredor. Maricota levantou-se e foi até lá ver o que era. A amiga ouvia apreensiva os gritos lá fora, agora acrescidos da voz estridente da outra que voltou irritada, algum tempo depois:

- Esses gringos são uns loucos! Deve ter bebido, só pode! 

- O que era?

- Uma hora dessas e o infeliz no corredor, gritando “Faire, Faire!” Mandei ele calar a boca!

- Fire!?? Fire é fogo, mulher! Me alcança esse roupão e vamos embora daqui!!

Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO