Afeganistão tem eleições em meio a ataques e dificuldades técnicas
21/10/2018 08h36
As eleições parlamentares no Afeganistão entraram em seu segundo dia após atrasos causados por violência e problemas técnicos. Uma bomba matou onze civis no domingo, incluindo diversas crianças.

O chefe da Comissão Independente Eleitoral, Abdul Badi Sayat, disse que mais de três milhões de pessoas de um total de 8,8 milhões de eleitores registrados já havia dado seu voto no sábado. O mais alto comparecimento ocorreu em Cabul e o mais baixo foi o da província Uruzgan, localizada mais ao sul do país.

A votação continuou neste domingo em 401 postos de votação, incluindo 45 em Cabul. Os primeiros resultados não serão conhecidos antes de meados de novembro e o resultado definitivo só será conhecido em dezembro.

As primeiras eleições parlamentares desde 2010 estão sendo realizadas em meio a um cenário de ataques quase diários pelo Taleban, que tomou quase metade do país e tem recusado ofertas para negociação com o governo. O atual governo, apoiado pelos Estados Unidos, enfrenta acusações de corrupção e muitos afegãos afirmam não esperar que as eleições sejam justas.

Autoridades nos postos de votação tiveram dificuldades com o registro de eleitores e com um novo sistema de biometria. O sistema foi desenhado para evitar fraudes mas em vez disso, criou enorme confusão porque muitos dos que foram treinados para usá-lo não compareceram ao trabalho. As máquinas com biometria chegaram há cerca de um mês das eleições e não havia tempo para um teste em campo.

A missão das Nações Unidas para o Afeganistão elogiou aqueles que fizeram um esforço para votar apesar das dificuldades, muitos dos quais esperaram em longas filas por horas enquanto as estações de votação ficaram abertas até tarde. "Aqueles eleitores que não conseguiram depositar seu voto por dificuldades técnicas têm o direito de votar", disse em comunicado.

O Taleban havia prometido atacar as eleições e, no primeiro dia, ao menos 36 pessoas morreram em cerca de 200 ataques. Entre as vítimas, há cerca de 27 civis, de acordo com o vice-ministro do Interior, Akhtar Mohammed Ibrahimi. Ele disse que forças de segurança mataram 31 insurgentes em trocas de tiros.

No domingo, uma bomba às margens de uma rodovia na província de Nangarhar atingiu um veículo repleto de civis, matando onze pessoas, incluindo seis crianças, de acordo com o porta-voz do governo da província. Ninguém assumiu autoria do ataque imediatamente. O Taleban e um braço do Estado Islâmico atuam na região. Fonte: Associated Press.

AE
Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO