Brasília e o mercado de peixes
Foto: Reynaldo Rodrigues
Reynaldo Rodrigues
13/03/2018 09h05

A Páscoa se aproxima e junto com ela a semana santa. Para quem não sabe essa data é uma tradição religiosa católica que celebra a Paixão, a Morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Como de costume o prato quase que unânime presente na mesa de muitos brasileiros é o peixe.

Desde o ano passado a Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural – SEAGRI, tem se preocupado com a qualidade de produtos voltada para piscicultura, ha exatamente um ano ela realizou um mini curso de "cultivo comercial de peixes em viveiros escavados", o curso teve objetivo de ensinar técnicas em geral da piscicultura com licenciamento ambiental.

Já neste ano a mesma secretaria disponibilizou outro curso também de forma gratuita onde os alunos aprenderam sobre criação de peixes para consumo. A ideia surgiu depois de um levantamento realizado em 2015, a pasta apurou que os brasilienses consomem mias peixes que a produção local consegue atender. Para saber outras informações a respeito de vagas é necessário entrar em contato pelo telefone: (61) 3380-3112

Conversa de pescador

A piscicultura nacional produziu 697 mil toneladas de peixes de cultivo em 2017. Esse resultado é 8% superior ao de 2016. A informação é da Associação Brasileira da Piscicultura e faz parte do anuário da piscicultura brasileira (edição 2018), publicada recentemente. A tilápia é a mais importante espécie de peixes cultivados do Brasil. Segundo levantamento da “Peixe BR”, a espécie representa 51,7% do mercado, com 357.639 toneladas em 2017.

A segunda posição não é de uma espécie em si, mas de uma categoria de peixes: os nativos. De acordo com a pesquisa da associação, liderados pelo tambaqui os nativos representam 43,7% da produção brasileira: 302.235 toneladas.

Ponto de referência

Em Brasília é possível encontrar inúmeros locais com diversidade de peixes, dentre eles funcionando há quatro décadas, algumas bancas da Feira do Guará são referencias locais quando o assunto é peixaria. A família Ueda é o mais conhecido fornecedor de peixes e frutos do mar frescos do local, a variedade de produtos expostos em seus balcões é inspiradora para quem gosta de cozinhar. O local fica aberto de quinta a domingo na própria Feira, no Guará.

Estimativa de vendas

Os comerciantes brasilienses esperam um crescimento de 9,39% nas vendas da Páscoa em comparação com o mesmo período do ano passado. É o que revela a pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio, entre os dias 22 e 25 de janeiro, com 408 empresários de 11 segmentos. Em 2017, a estimativa de crescimento nas vendas foi de 1,44% para a data comemorativa.

Neste ano, 26,5% dos lojistas apresentam expectativa de aumento de seus estoques para a Páscoa. Em 2017, apenas 17% dos lojistas esperavam aumentar o estoque, o que sugere uma Páscoa com maiores ofertas, aumentando assim a atratividade do consumidor. Os lojistas em 2018 esperam assim, em média, aumentar seus estoques em 4,10% em relação ao ano anterior, que registrou retração em 0,43%. A avaliação envolve produtos no geral, como peixes, chocolates e derivados.

 

Da redação do Alô
Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO