Bretas condena Cavendish e mais 14 da Operação Saqueador
Constança Rezende, Roberta Jansen, Luiz Vassallo e Fausto Macedo
Rio e S√£o Paulo
13/06/2018 21h28
O juiz federal Marcelo Bretas condenou 15 pessoas, entre elas Fernando Cavendish, da Delta Engenharia, e o contraventor Carlinhos Cachoeira, e o doleiro e delator Adir Assad, por lavagem de dinheiro e associa√ß√£o criminosa no √Ęmbito de supostos desvios de R$ 370 milh√Ķes de contratos com o governo estadual do Rio na gest√£o S√©rgio Cabral (MDB). A den√ļncia foi oferecida no √Ęmbito da Opera√ß√£o Saqueador, desdobramento da Lava Jato no Rio.

Segundo a den√ļncia, "para desviar aproximadamente 370 milh√Ķes de reais dos cofres p√ļblicos √† √©poca dos fatos, a DELTA utilizou 18 empresas de fachada e firmou diversos contratos fraudulentos, que n√£o apresentaram qualquer causa econ√īmica ou liga√ß√£o direta com as obras efetivadas".

O magistrado atribui a Cavendish o papel de "principal idealizador dos esquemas ilícitos perscrutados" e "beneficiário das práticas de lavagem de dinheiro imputadas".

"A quadrilha liderada por FERNANDO CAVENDISH utilizava a DELTA CONSTRU√á√ēES S/A como um instrumento para encobrir as a√ß√Ķes criminosas de seus membros e funcion√°rios, acompanhado de diretores regionais da empresa e funcion√°rios da √°rea administrativa e financeira, transferindo vultosos recursos a empresas "fantasmas", como forma de dissimular o desvio de recursos p√ļblicos e o consequente pagamento de propinas a agentes estatais", anotou.

Den√ļncia

Segundo a den√ļncia, o inqu√©rito da Saqueador foi instaurado a partir de desdobramentos das Opera√ß√Ķes Vegas e Monte Carlo. Nessas opera√ß√Ķes foram investigados os esquemas de direcionamento de emendas or√ßament√°rias ao munic√≠pio de Serop√©dica (RJ), a manipula√ß√£o de conv√™nios e as fraudes √†s licita√ß√Ķes, segundo destacam os investigadores.

Na opera√ß√£o Monte Carlo foi identificado que grande parte dos valores depositados nas empresas de Carlinhos Cachoeira era proveniente da empresa Delta Constru√ß√Ķes S.A. "Esses valores eram na verdade dinheiro p√ļblico desviado para pagamento de propina a agentes p√ļblicos", sustenta o Minist√©rio P√ļblico Federal.

Grampos telef√īnicos das opera√ß√Ķes revelaram a exist√™ncia de rela√ß√£o estreita entre Cachoeira e Cl√°udio Dias Abreu, diretor regional do Centro-Oeste da empreiteira, envolvendo negocia√ß√Ķes com entidades p√ļblicas. Revelaram, tamb√©m, que o contraventor mantinha contato frequente com os funcion√°rios de alto escal√£o da Delta, como Rodrigo Moral Dall Agnol, Carlos Alberto Duque Pacheco, Heraldo Puccini e tamb√©m com o presidente da empreiteira, Cavendish.

De acordo com a den√ļncia, "o gigantesco esquema de lavagem de dinheiro foi elucidado na opera√ß√£o Saqueador, cujas provas foram compartilhadas com a Opera√ß√£o Lava Jato no ano de 2015".

Segundo o Minist√©rio P√ļblico Federal, entre 2007 e 2012, a Delta teve 96,3% do seu faturamento oriundo de verbas p√ļblicas representando esse porcentual o montante de quase R$ 11 bilh√Ķes e que a maior parte desses valores era proveniente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT).

AE
Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO