Chuva n√£o espanta foli√Ķes e 23 de Maio tem mais um dia de lota√ß√£o no carnaval
Gilberto Amendola
S√£o Paulo
13/02/2018 16h53
No √ļltimo dia oficial de carnaval, o esquema montado na Avenida 23 de Maio continua sendo o ponto de maior destaque da folia paulistana. Por volta das 16h30, desfilava pela avenida o bloco Os Invertidos. O desfile come√ßou √†s 15h para um p√ļblico grande, mas que est√° longe de lembrar a multid√£o dos √ļltimos dias. Para azar dos foli√Ķes, o som do trio n√£o "preenche" toda a avenida - fazendo com que parte dela fique sem m√ļsica.

Alguns problemas se repetem - como a utiliza√ß√£o dos canteiros como banheiro, apesar da presen√ßa de banheiros qu√≠micos. A presen√ßa de bombeiros civis ao longo da via n√£o inibiu quem decidiu n√£o esperar pela vez no banheiro qu√≠mico. Ao serem perguntados, foli√Ķes n√£o sabiam que a infra√ß√£o √© pass√≠vel de multa. Tamb√©m segue o consumo nada discreto de maconha. Uma ambul√Ęncia, no meio da via, servia de cen√°rio para selfies.

Chuva

Mas nem o inc√īmodo da chuva parece tirar o f√īlego de quem est√° na 23 de Maio para aproveitar o √ļltimo dia de carnaval. Mary Lucien, de 47 anos, e suas amigas holandesas brincam pela primeira vez o carnaval em S√£o Paulo. Animadas, elas eram s√≥ elogios √† cidade e √† festa. Apesar de um dia nublado, Mary disse que "estava muito quente para os padr√Ķes europeus".

As holandesas foram bastante requisitadas na 23 de Maio. Muita gente quis tirar fotos e praticar inglês com a turma. "Não tem nada parecido com essa festa no nosso país", completou Mary.

Cecilia Sun, de 20 anos, trouxe os parentes chineses para assistir ao carnaval de rua de S√£o Paulo. A fam√≠lia, que trabalha com com√©rcio no centro da cidade, n√£o se arriscou no samba, mas parecia se divertir. "√Č a primeira vez deles aqui. Est√£o quietinhos, mas est√£o gostando. A gente n√£o sabe dan√ßar", disse.

A família Cenedesse atendeu ao pedido do seu integrante mais novo e veio acompanhar os blocos da 23 de Maio. Enquanto Paulo Cenedesse, 18 anos, brincava no meio da avenida, a família aguardava sentadinha em um dos canteiros da 23 de Maio.

Olga, de 90 anos, diz que j√° viveu muitos carnavais √© que √© "bonito ver o neto participando tamb√©m". O pai, Marcelo, de 59 anos, disse que acompanhava o filho por gosto e precau√ß√£o. "√Č triste quando a gente assiste confus√£o em uma festa bonita como essa. Por isso, acha legal acompanh√°-lo", falou. J√° a m√£e, Nancy, 56 anos, lembrou que acima de qualquer preocupa√ß√£o, essa √© uma fam√≠lia que "gosta de carnaval".

Assim como ocorreu na segunda-feira, 12, ao longo da avenida v√£o se formando grupos que se re√ļnem ao redor de caixas de som menores. Delas, invariavelmente, sai o som do funk - transformando o espa√ßo em um baile do g√™nero. Como o som do trio el√©trico dos Invertidos n√£o preenche toda a via, esses grupos v√£o ocupando o espa√ßo.

AE
Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO