Cuidados especiais no ver√£o
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasília
19/01/2018 08h54

Verão é sinônimo de sol, praia e cachoeira. Mas também é época de chuvas, que podem tanto trazer alívio ao calor como proliferação de bactérias, fungos, mosquitos e doenças. Basta dar uma rápida olhada nos noticiários e logo dá perceber que um dos assuntos mais discutidos e veiculados se referem a doenças típicas da estação, como a febre amarela, dengue e a conjuntivite. 
Nas últimas semanas, casos dessas três doenças conseguiram espaço nas manchetes dos principais veículos de comunicação e agências de notícias. 

DE CALDAS NOVAS AO DF

O Distrito Federal, segundo informou a Secretaria de Saúde, nesta semana, conta com cinco ocorrências suspeitas de febre amarela sob análise. 
Em Caldas Novas (GO), cidade localizada a 399 km de distância de Brasília, há registro de surto de conjuntivite com 404 casos registrados desde o primeiro dia de janeiro. No DF, onde moram muitos visitantes de Caldas Novas, também houve aumento de casos de conjuntivite nas emergências dos hospitais públicos.

AEDES AEGYPTI

Já a dengue, tida como uma das principais doenças do verão brasileiro, por conta da alta frequência de chuvas que podem trazer acúmulo de água em ambientes e recipientes propícios para a propagação e reprodução do mosquito Aedes aegypti, o transmissor da doença, teve, até 13 de aneiro, no Distrito Federal, 46 suspeitas registradas com 41 moradores locais e cinco residentes em Goiás. 
Elaboramos uma lista de outras enfermidades típicas do verão que merecem atenção e cuidado redobrado.

INTOXICAÇÃO ALIMENTAR

As temperaturas altas do verão são um dos principais fatores que ocasionam a intoxicação alimentar e hídrica – causadas, respectivamente, pelo consumo de comida e água contaminadas. Os sintomas podem ser diarreia, febre, náuseas e vômitos, que podem levar à desidratação. 

INSOLAÇÃO E DESIDRATAÇÃO

A insolação e a desidratação também podem ser ocasionadas pela exposição excessiva ao sol e ao tempo quente. È recomendado beber ao menos dois litros de água por dia, sempre aplicar o protetor solar no mínimo 30 minutos antes de se expor ao calor e evitar as horas com maior concentração solar (entre 11h e 16h), além de usar chapéus, óculos de sol e roupas leves”.

HEPATITE A

A hepatite é uma inflamação aguda no fígado, que pode ser causada por vírus, bactérias ou agentes tóxicos, como o álcool. Os sintomas iniciais mais comuns são mal estar, dores no corpo, náuseas, dor abdominal, vômitos, olhos e pele amarelados, urina bem escura e fezes claras. A contaminação se dá, basicamente, com água ou alimento contaminado com esgoto. 

OTITE

É todo tipo de inflamação ou infecção no canal do ouvido.  A otite é bastante incômoda, por provocar dor de ouvido aguda e, em alguns casos, febre. Pode ser evitada em alguns hábitos simples, como não passar tempos exagerados em atividades de imersão e suspender todo passatempo aquático logo nos primeiros sinais de dor.

MICOSES

Os fungos causadores das micoses superficiais (afecções causadas por fungos, limitadas à camada superficial da pele, cabelos, unhas e mucosas) se desenvolvem com mais facilidade em ambiente quente e úmido, mas não somente em praias e piscinas. Esses fungos são encontrados no solo, nos animais, no homem. Sua transmissão ocorre por contato direto ou através de objetos contaminados e podem ser prevenidas evitando o contato direto. O tratamento das micoses superficiais deve ser orientado pelo médico e varia com o local acometido: a pele, a mucosa, as unhas ou os cabelos, além do estado geral de seu portador. 

DENGUE

 A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em 1986. Estima-se que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo. A principal forma de transmissão é pela picada dos mosquitos Aedes aegypti. Há registros de transmissão vertical (gestante - bebê) e por transfusão de sangue.  Existem quatro tipos diferentes de vírus do dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. A infecção por dengue pode ser assintomática, leve ou causar doença grave, levando à morte. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Na fase febril inicial da doença pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, entre outros sintomas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde.

Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO