ICV de novembro sobe 0,15% em S√£o Paulo, revela Dieese
Francisco Carlos de Assis
S√£o Paulo
07/12/2017 13h12
O custo de vida do paulistano em novembro variou 0,15% para cima em rela√ß√£o a outubro, segundo c√°lculos feitos pela √°rea t√©cnica do Departamento Intersindical de Estat√≠stica e Estudos Socioecon√īmico (Dieese). Com a eleva√ß√£o do √ćndice do Custo de Vida (ICV) no m√™s passado, a infla√ß√£o para as fam√≠lias residentes na capital passou a acumular alta de 2,16% no per√≠odo compreendido entre janeiro e novembro e eleva√ß√£o de 2,29% no acumulado de 12 meses.

Na capital paulista, o custo de vida corre em linha com a taxa anualizada da infla√ß√£o pelo √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE). O indicador do IBGE √© o √≠ndice oficial usado pelo governo como par√Ęmetro da pol√≠tica monet√°ria, que em 12 meses at√© outubro acumula alta de 2,70%, abaixo do centro da meta inflacion√°ria, de 4,5%.

No mês passado, o ICV foi mais suave para famílias mais pobres, com renda média mensal de R$ 377,49 e enquadradas no estrato 1 de renda, e mostrou recuo de 0,03%. Para as famílias do estrato 2, que percebem uma renda média de R$ 934,17 por mês, o custo de vida teve um aumento de 0,08%. Para os considerados mais ricos, segundo o Dieese, com renda familiar média de R$ 2.792,90, o custo de vida em São Paulo subiu 0,27%, acima até da variação do índice geral em novembro.

A disposi√ß√£o das varia√ß√Ķes do custo de vida por estratos de renda √© condizente com os aumentos nos pre√ßos dos produtos e servi√ßos que mais impactam os or√ßamentos das fam√≠lias. O aumento de 2,01% nas mensalidades dos conv√™nios de sa√ļde, que levou o grupo Sa√ļde a uma aumento de 1,34%, pesou mais para os mais ricos.

Na contramão dos planos médicos, os preços dos alimentos recuaram 0,29%, em média, o que favoreceu os mais pobres, parcela da população que usa a maior parte da renda em gastos com alimentos. Na mesma direção foi o grupo Habitação, que afeta os gastos dos mais pobres e das famílias do estrato intermediário, cuja inflação recuou 0,30%. O grupo Vestuário caiu 1,23%. Equipamento Doméstico, caiu 1,04% ,

Entre as altas figuraram Transporte, com alta de 1,04% no período; Recreação, 0,51%, Educação e Leitura, 0,05% e Despesas Diversas, com ligeira elevação de 0,03%.

AE
Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO