PF desmonta plano do PCC de executar atentados e tortura contra agentes p√ļblicos
Fabio Serapi√£o
Brasília
11/10/2018 11h24
Os setores de intelig√™ncia da Pol√≠cia Federal (PF) e do Departamento Penitenci√°rio Nacional (Depen) mapearam e desarticularam um plano do Primeiro Comando da Capital (PCC) para realizar atentados contra agentes p√ļblicos e explodir bombas em pr√©dios p√ļblicos em todo o Brasil. Um dos alvos seria a sede do pr√≥prio Depen, em Bras√≠lia.

De acordo com a PF, com base na an√°lise de bilhetes apreendidos pelos agentes do Depen foi poss√≠vel interceptar ordens dos principais l√≠deres da fac√ß√£o que, de dentro da penitenci√°ria federal de Porto Velho, em Rond√īnia, articulavam a a√ß√£o criminosa.

A investiga√ß√£o do caso deu origem a duas opera√ß√Ķes deflagradas nesta quinta-feira (11): a P√© de Borracha e a Morada do Sol.

Estão sendo cumpridos três mandados de prisão preventiva e quatro mandados de busca e apreensão, sendo três deles em celas da Penitenciária e um imóvel de Porto Velho. Também serão proibidas as visitas íntimas para os alvos e eles serão incluídos no regime disciplinar diferenciado, o RDD.

A Pé de Borracha, a partir da análise da comunicação entre os presos, identificou um plano criminoso que objetivava o uso de explosivos em unidades prisionais. O propósito do plano, segundo a PF, era desestabilizar o Sistema Penitenciário Federal, em especial o Depen.

A Morada do Sol, por sua vez, mira o plano do PCC de sequestrar, torturar e assassinar agentes p√ļblicos para pressionar o governo federal e o Supremo Tribunal Federal (STF) a liberar as chamadas visitas √≠ntimas nos pres√≠dios federais. Essas visitas est√£o suspensas desde julho de 2017.

"As investiga√ß√Ķes identificaram que a fac√ß√£o criminosa j√° havia realizado o levantamento da rotina e atividade de diversos servidores p√ļblicos fora do ambiente de trabalho para serem sequestrados e/ou assassinados em seus momentos de folga", disse a PF por meio de nota.

Os investigadores descobriram que a comunicação entre os presos se dava por meio de bilhetes repassados entre as celas pelas chamadas "terezas" - pequenas cordas criadas a partir de fios retirados de roupas.

AE
Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO