Símbolos culturais à espera de novo brilho
Foto: Mary Leal
Reynaldo Rodrigues
21/08/2017 07h30

Brasília um museu a céu aberto, é quase impossível andar pela cidade sem parar para observar quaisquer formas geométricas que preenchem os espaços entre os blocos ou até mesmo passear de carro sem admirar as obras de Niemeyer ou os ipês coloridos pela parte central do Plano. Tudo na capital parece que foi metricamente posicionado para combinar com a beleza do natural do céu. Entretanto nem tudo são flores. Espaços que deveriam ser palcos para deslumbres, estão em sua maioria abandonados ou sem os devidos tratamentos, fator que agrava a propagação de cultura na cidade.

Entre os monumentos mais visitados pela população local e turistas, está a Torre de TV, local que recentemente teve uma expedição da Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb) com recomendação a diversos órgãos do Governo do DF. O Ministério Público enumerou uma série de irregularidades que prejudicam o funcionamento do local e pede providências. Para a Prourb, os maiores problemas estão na descaracterização do projeto original da Feira, na precariedade e falta de padronização de toldos, nas coberturas e engenhos com publicidade e na utilização dos espaços de circulação para exposição de produtos. 

Os problemas de manutenção não se limitam somente a Torre, outro local que passa por problemas ainda piores é o Teatro Nacional Cláudio Santoro que por determinação do Corpo de Bombeiros, foi fechado em fevereiro de 2014 para obras. À época, o valor estimado para as despesas estava em torno de R$ 200 milhões. Mas, desde a paralisação das atividades e a não realização das melhorias necessárias o valor subiu. De acordo com Secretaria de Cultura do Distrito Federal, o gasto hoje está em cerca de R$ 250 milhões. 

EM ANDAMENTO

Em situação semelhante, temos o Espaço Renato Russo, na 508 Sul, que abriga salas de teatro, espaço para shows, além de biblioteca e galerias para exposições, está interditado a quatro anos. Desde o ano passado o espaço está passando por reformas, em maio a Secretaria de Cultura informou que as obras estariam concluídas até junho, o que não ocorreu de fato. Em nota enviada ao Alô, explicaram que os atrasos foram decorrentes de demora na elaboração dos projetos executivos e aprovação junto aos órgãos competentes, além de falta de recursos no início do ano que levaram a desaceleração das obras. A previsão “oficial” ficaria para este mês, porém, haverá aditivo de prazo, com nova previsão a ser definida.

Outro ponto importante para a cultura da capital, o museu de Arte de Brasília (MAB) está fechado desde 2007. Em 2014 chegou a ter iniciado uma reforma que logo parou por falta de pagamento. Em 2015 a Secretaria de Cultura revisou o projeto executivo e o refez corrigindo vários erros e prevendo acondicionamento e iluminação corretos para as obras de arte, com apoio da Novacap. Neste momento, o local aguarda licitação para início das obras, a previsão é que o MAB seja recuperado ainda no próximo ano e reaberto para a comunidade.

TURISMO LOCAL

Em entrevista ao Alô a Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer informaram que as atividades turísticas cresceram, no Distrito Federal, 4,4% entre março e abril, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse foi o maior número entre as unidades da Federação, seguido por São Paulo (1,9%) e Pernambuco (0,8%). Já o Boletim de Desempenho Econômico do Turismo (BDET), do Ministério do Turismo, divulgado em junho, indicou crescimento de 4,3%, no faturamento médio das empresas de turismo brasileiras, no 1º trimestre deste ano. Dentre os fatores que fundamentam os dados estão o aumento da demanda doméstica e a expectativa de reação da economia. As perspectivas para o próximo trimestre são favoráveis, uma vez que 70% do setor manifestou a intenção de investir o montante de 10,3% do faturamento apurado. 

Em Brasília o incremento do turismo também pode ser observado nas pesquisas que a Secretaria de Turismo desenvolveu, no feriado de 21 de abril e no Carnaval de 2016 em comparação a 2017. Desde o inicio desse ano houve um aumento de 6,42% na ocupação hoteleira.

As maiorias dos locais descritos na matéria estão passando pelo processo de reformas e verificação, porém as secretarias não informam de maneira clara datas limites para a entrega ou inaugurações dos espaços.

“A Feira da Torre de TV, se bem gerida, poderia se transformar em uma vitrine do DF, em benefício tanto da população local e dos turistas quanto dos permissionários. No entanto, as irregularidades passam uma imagem extremamente negativa àqueles que a visitam” - Dênio Augusto Moura (Promotor de Justiça)

Número 1 em visitações: O monumento mais visitado na cidade, ficando atrás somente da Catedral de Brasília é a Torre de TV, que  recebe uma média de 10 a 12 mil visitantes por semana. O Complexo da Torre de TV representa um dos atrativos turísticos mais procurados na capital federal e é composto pela Torre de TV (mezanino, mirante, subsolo e feira), Jardim Burle Marx e Fonte Luminosa.
Comentários

Carregando notícias...
COPYRIGHT © - PORTAL ALÔ - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
ANUNCIE | FALE CONOSCO | COMERCIAL | EXPEDIENTE | TRABALHE CONOSCO